Imprensa Terapia Relaxamento Orientação Voacional Profissional Terapia Casal Terapia Familiar Terapia Hipnose Terapia Infantil Terapia Breve Home Curriculo Home e-mail

Solicite aqui sua consulta


Fone: (11) 3498-8955
Cel.: (11) 9839-3018



"O nosso corpo usa um programa básico, denominado auto-cura. Quando há doença o nosso sistema imunológico elimina as bactérias. É dificílimo uma doença sobreviver em um corpo regido por uma mente saudável". O Segredo




1
A psicoterapia é um método de tratamento para dificuldades emocionais, visando remover sintomas ou ressignificar experiências traumáticas, além de colaborar para o crescimento e desenvolvimento pessoal.
1


   

Caderno VIVER do Diário de São Paulo

  

DE VOLTA AO PASSADO

 A regressão pode resolver crises emocionais.
Repórter do Diário fez e diz o que sentiu

  Por Regina Cazzamatta

 A voz e tranqüila da terapeuta Viviane Scarpelo me orientava para fechar os olhos, soltar o corpo sobre as confortáveis poltronas amarelas de seu pequeno consultório e senti-lo relaxar paulatinamente. Enquanto uma música estilo new age soava ao fundo, ela direcionava meus pensamentos para lugares e situações de conforto e empolgação. “ Respire profundamente, imagine que esse ar possa entrar azul e sair amarelo”, dizia. Nesse momento, passei a me concentrar na minha respiração e percebi melhor os movimentos de inspiração e expiração.

Em seguida, a hipnoterapeuta pediu para eu imaginar um local que oferece conforto e bem estar. Pensei numa praia, às seis da tarde, com um inesquecível por do sol. Enquanto frisava para que continuasse respirando profundamente, fazia alusão a uma bolha de sabão. Nessa hora, me lembrei de um brinquedo que tive na infância que fazia que fazia bolha de sabão. Na seqüência, ela dava comandos para que todos os problemas como ansiedade, depressão, nervosismo e estresse fossem depositados dentro da espuma e empurrados para longe. A profissional, então, sugeria que eu me recordasse daquele cenário ao encarar as situações difíceis no dia-a-dia.  

Rápido Cochilo

             Tranqüilidade foi uma das sensações que mais se destacaram na sessão. É como tirar um cochilo à tarde, após o almoço, em que a consciência se perde lentamente e os pensamentos voam em direção às velhas lembranças. Mas a regressão não se confirmou, pois foi apenas a primeira sessão.

            Essa experiência representa uma sessão de hipnose empregada durante a terapia de regressão. Viviane Scarpelo que possui especialização em hipnose clínica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), ressalta que a técnica é usada apenas após conhecer muito bem o paciente e descobrir seus problemas.

            Voltar ao passado, presenciar determinadas situações e ressignificá-las  é um dos princípios básicos desse tipo de terapia. “ A pessoa sente a descarga emocional de novo, as a elabora de forma diferente”, diz a psicanalista Fátima Moura de 53 anos. Presidente da Sociedade Brasileira de Psicanálise Integrativa. “Anos depois, o paciente esta mais apto para compreender uma situação que lhe causou um trauma da infância, por exemplo”.

            O método mais utilizado para fazer uma pessoa regredir é a hipnose ericksoniana, elaborada pelo americano Milton Erickson. Não tem nada a ver com aquele pêndulo que vemos  nos filmes. “Com o pensamento focado (transe) é possível trabalhar as questões diagnosticadas durante a terapia”, diz Viviane. A terapeuta consegue recuperar as lembranças apenas falando vagarosamente. Com o uso de imagens, ela chega ao inconsciente. “Há outras formas de fazer um paciente regredir, como a musicoterapia e a cromoterapia”, assinala Fátima.

            A regressão é uma técnica para trabalhar conteúdos emocionais. Porém é extremamente necessário que haja um diagnóstico. “ Não é recomendável fazer pela simples curiosidade”, observa o terapeuta Saulo Nagamori, de 30 anos. “Focamos sempre num incomodo presente. Temos que entender como um fato do passado altera a vida de uma pessoa hoje”.

 Regressão para emagrecer

             A enfermeira Amanda de Ornelas, de 25 anos, tentou por quase sete anos perder os trinta quilos que ganhou durante um problema na medula óssea. Com 1, 50 metro de altura, ela chegou a pesar 80 quilos. “Eu comia compulsivamente e quase tive obesidade mórbida”, conta. “Procurei ajuda de endocrinologistas, nutricionistas, mas percebi que só cuidar do físico não estava adiantando. Então resolvi cuidar da mente.” Foi dessa forma que Amanda procurou uma psicóloga e hipnoterapeuta. Com análise e sessões de regressão, ela voltou a pesar 51 quilos em apenas seis meses.

            “Com a regressão é possível ressignificar algum acontecimento que tenha sido traumático, visando a solução do problema”, diz a hipnoterapeuta Viviane Scarpelo. Durante as sessões, Amanda revelou uma de suas histórias mais marcantes, que, possivelmente, foi a chave para o entrave que vivia. Na infância, ela estava numa excursão da escola e, na euforia dividiu uma caixa de chocolate com todos os amigos. Quando chegou em casa, levou uma bronca de seu pai. Ele disse que tinha comprado as guloseimas somente para o lanche dela. No dia seguinte, Amanda comeu sozinha uma caixa de bombons.

            A partir desse flash de memória, foi trabalhada a questão da compulsão alimentar. “É como se abrisse uma gaveta, um arquivo morto em sua mente”, conta Amanda. “Em geral, todas as minhas lembranças eram relacionadas a comida”.

 Medo da solidão

             A professora Regina Aparecida Toyama, de 50 anos, também obteve sucesso com a terapia. “ Nunca gostei de ficar sozinha, sempre tive medo da solidão”, diz. Numa sessão de regressão ela se viu, na infância, durante as férias na casa de uma tia em São Jose dos Campos. “Eu ficava separada das minhas primas, presa em casa, enquanto elas brincavam”, conta. “Como eu era de São Paulo e não estava acostumada à neblina, não podia ficar na rua com as outras crianças.” Depois de trabalhar essa sensação de desamparo ela passou a lidar melhor com o problema. Hoje, Regina é viúva e sem filhos e não sofre por causa disso.

            Já o vendedor Nelton Simões, de 30 anos, procurou o método para controlar o nervosismo. “Voltei a ser criança de verdade. Eu tinha medo do homem do saco. Cada consulta era uma evolução”, diz. “Eu era explosivo e hoje aprendi a refletir mais.”

 

Fonte: Diário de São Paulo – 24 de junho de 2007    Ano 123 nº 41.027

 

 

Viviane Scarpelo na Imprensa:
 
 
 
 
 
 
 




 
Entrevistas e Artigos da Psicóloga Viviane Scarpelo.
   

Diário S. Paulo: Regressão.
 
-----------

Revista Isto É: Casal, família e a questão financeira.
 
-----------
Rádio Globo: >Síndrome do ninho vazio.
 
-----------
Revista Todo Saber: Transtornos Alimentares.
 
-----------
Revista Pais&Filhos: Curiosidade infantil.
 
-----------
Revista Natura: Vida nova, quarto novo.
 
-----------
Direcional Escolas: Filhos: reflexo dos pais.
 



Copyright (c) 2010 Clinica de Psicologia e Hipnose. Todos os direitos reservados.
      
Solicite sua consulta